domingo, 10 de fevereiro de 2008


Esta música transporta-me.
O destino tanto se identifica com o óbvio pub reles de couro vermelho colado ao motel na estrada dos camionistas americanos, como com o restaurante ocidental onde em jeito colonial os brancos em África se encontram para decadentemente apaparicar gins tónicos em vestes de linho (lembra-me A Costa dos Murmúrios), ou com aquele baile da aldeia alentejana perdida na Serra de São Mamede. A tónica está sempre lá, é a não-pertença às coordenadas actuais. E ela lá ao fundo, de microfone na mão, vestido solto sob os ombros, os olhos mais tristes, a voz mais doce.

Tenho um amigo que se apaixonou pela voz de alguém. Quando fala dela - quem sustenta a voz - trata-a por "A Voz". Diz que a música da voz dela o deixa arrepiado e que quer saber mais, tudo, que foi cativado pelo som. Já me aconteceu ouvir pela primeira vez a voz de alguém e ter a certeza que ali estava um porto de abrigo. Sentir-me segura agarrada ao telefone.

0 bitaites:

Enviar um comentário

 

Copyright 2006 | Template cedido por GeckoandFly e modificado e convertido para Blogger Beta porBlogcrowds.
Muito obrigada :) Se queres conteúdo reproduzir, basta pedir!