terça-feira, 16 de setembro de 2008

Não é que essas diferenças me sejam indiferentes. Não! De todo! … Mas penso que simplesmente aprendi a aceitar, a não julgar por ser mais fácil.
Contaram-me a seguinte história, sucinta, passada numa tribo amazónica: um homem está sentado numa cadeira sobre um tapete e uma mulher, sentada no chão, perto dele, lava-lhe os pés com dedicação.
Aos ocidentais presentes é pedido que comentem tal cenário. Para todos a descriminação da mulher é facto assente. Qual a surpresa quando nos é desvendado que naquela tribo nada de mais sagrado há do que a terra. Só as mulheres estão autorizadas a tocá-la. Os homens, para terem permissão, precisam da bênção delas.
Por isto não julgo.

Viajei do leste do oriente animista, passei pelo mix católico esotérico, fui-me aproximando de uma vertente mais ortodoxa, daí foi um salto para o islamismo. Com alívio, no final, o jeito relaxado dos hindus, com o seu cuidar das flores e oferendas. E depois, aqui, o ateísmo convicto, lê-se nos olhos a descrença.

Em Bali, não critico as loiras em topless nem as gordas em fio dental. Só fico chocada porque vim de onde o banho em público no feminino é feito em calções até ao joelho e t-shirt sem decote. Também não critico os risos histéricos dos japoneses quando posam teatralmente para as mil e uma fotos de grupo na praia. Nem a conversa dos surfistas da praia de Kuta.
Em Lombok, não critico os casais gay. Até os admiro. Também não critico os risos sem respeito de quem lhes vende abrigo.
Nos aeroportos, não julgo os chinocas stressados que me ultrapassam descarada e violentamente nas filas de aeroporto. Na terra deles devem ter sido obrigados a desenvolver esse instinto animal.
Cantores pop indonésios a dançar como o Michael Jackson.

A leveza com que se circunscreve o mundo inteiro em curtas semanas passando pelas culturas como por corredores de supermercado. E das prateleiras só os preços se decora. Não critico, mas não quero isso para mim.
Não julgo quem dá e espera reconhecimento.
Não critico a ganância, a preguiça, a má disposição, a mentira. Mas dou de mim tudo quando recebo o oposto.
Há espaço para todos aqui.

3 bitaites:

neca disse...

It's a mad world..

marie disse...

estava tão à espera (sem saber) de ler isto que eu li.
critico-te. hoje fizeste de mim uma pessoa melhor, e vou dormir mais descansada.

mary.

sarita disse...

hmmm deixaste-me curiosa, mary...

Enviar um comentário

 

Copyright 2006 | Template cedido por GeckoandFly e modificado e convertido para Blogger Beta porBlogcrowds.
Muito obrigada :) Se queres conteúdo reproduzir, basta pedir!