quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Troco mil e uma paisagens de tirar a respiracao por uma conversa simples, uma pequena invasao musical. (como se diz invasao sem parecer que eh alguma coisa ma?)

As vezes penso que estou louca, fora de mim, por estar fora de tudo, fora fora fora da realidade. Quando finalmente me sentei a estudar o lonely planet, ja em kupang, entrei em colapso: sera que tenho tempo de chegar onde preciso quando quero? O instinto que me sai natural eh meter me outra vez no caminho para timor. Qunado estou triste eh assim. Mas isso ja era demasiada loucura pegada, e o que o guia me mandou fazer foi ir a um pequeno bar decadente em cima da praia, falar com o ed. Mais tarde ele disse me que queria ter tirado uma foto da minha cara naquela altura. Eh que era so stress a raiar dos olhos. Vou a uma agencia de viagem, o rapazinho quer mais sacar me o numero de telemovel do que vender o bilhete de barco. Vou ao posto de turismo, as especialistas quase nao falam ingles. Acho que falo eu melhor o bahasa indonesia. Mas a confusao eh grande.

Com o Ed dei por mim confortavel. Mal cheguei, o bebado australiano cliente assiduo ha nao sei quantos anos diz "wassup mate? you cannot worry like that... here it is not worth it. you'll get there". Respirei fundo, sentei me de costas para o mar, logo a seguir troquei de direcao e quando reparei ja ali estava ha 6 horas. Parece que eu sou boa pessoa porque ja duas outras me disseram que nao posso ser assim tao simpatica e prestavel. Preferi ficar a ajuda lo com o site do bar dele, com as fotos do local (o photoshop faz maravilhas), a falar sobre os problemas da parte ocidental da ilha desde que a confusao se instalou no lorosae, do que meter me por ai a ver as vistas. As vezes mais vale umas palavras do que mil imagens.

Os outros podem nao perceber, mas eu sei ver so de olhar, quem me pode querer mal. Nao eh instinto. Eh que a vida ja muito me ensinou, e a estas pessoas do oriente oriental, ja as conheco de gingeira. Quase nunca sorrio.

O Ed, sei que me nao quer mal. Ajudei-o com a tecnologia e a decoracao, ele ofereceu me os cafes, os sumos, o jantar. E foi assim que se passou um dia na indonesia gastando 5 dolares. Hoje, ele levou me a umas aldeias perdidas, em troca das minhas fotos. Sentamo nos com um velho artista local, o ultimo construtor de sasandos no mundo. Sasando eh uma especie de viola, mas com cordas em toda a volta de uma cana de bambu. O velho tocou, cantou, falou, fumou. Eu so percebi a musica dele.

3 bitaites:

mãenuela disse...

1º Que tal "imersão"?
2º O Ed é o dono do bar?
3º A intuição é uma coisa muito útil, tal como a inteligencia emocional, mas não é armadura contra a maldade dos outros.
4º Continuação de boa viagem e bons encontros.
5º Não querendo ser muito repetitiva, goza muito, gasta pouco, e está atenta aos horários.
6º Um beijo

raquel disse...

Cuida-te**

Inês Dias de Carvalho disse...

lindo, tudo lindo...!!!!!!!!! emoção-palpita-coração... :))

Enviar um comentário

 

Copyright 2006 | Template cedido por GeckoandFly e modificado e convertido para Blogger Beta porBlogcrowds.
Muito obrigada :) Se queres conteúdo reproduzir, basta pedir!