quarta-feira, 2 de setembro de 2009








Felenko Yefe - Momo Wandel Soumah

Não quero ver Setembro chegar, não quero.
Nada de calos nem poeira na sola dos pés, ou verniz vermelho na ponta dos dedos.
De repente fica frio, e já se veste mais um casaco, e outro, camadas que nos afastam de nós.
E longe vão os dias de sol na portada, e desvios do buraco da lagarta na maçã, trincando carneiros contados, cercando a dita, sem pudor mas com cautela, em noites de brisa quente, madrugadas de vento que sacode cortinas. Transparentes, luminosas.

Aquela frase que se repete pela ânsia dos pôres-do-sol contados e luz ténue no horizonte povoado. Talvez seja por ter nascido no magusto, pelo cabelo ter sido sempre da cor do Outono - mesmo naquela altura em que o pintei de mercurocromo e havia reflexos vermelhos e esverdeados - there's something about the fall, falling down on me.

Os chinelos dão lugar a botas com lã quente.
Já não me embrulho numa lipa leve para sentir o conforto do trabalho em casa - abraço-me de cobertores, aquecedores, incensos e música.
Saio à rua, pulsos arrepiados, e cheira a castanhas.
No Verão há quem não queira acabar de ler o livro - histórias demasiado boas, coisas que se demoram. Chegando Setembro, sei que dou por mim embrenhada, fechada lutando numa mesa e quadros, à minha volta que "Eu amo o Longe e a Miragem, / Amo os abismos, as torrentes, os desertos… ". Ficar a ver isto acontecer, é uma espécie de sina, ou aceitar uma missão.
Vejo, Setembro entrou, de mansinho, porque hoje já é dia 3.

De boas-vindas, indómita a vontade de escrever, te, uma carta.
É que sempre insisti fazê-lo. Mesmo em anos de silêncio escrito, em papel, que destinatários foram outros. Tipo cuidar de flores, tivera eu um bonsai, sempre voam envelopes, colagens, espirais azuis, mas nunca mais tomate vermelho, Matisse.

3 bitaites:

Nuno Medon disse...

olá! bem disposta? gostei do bocadinho que ouvi! Parece ser tranquila, a música. beijos e um bom fim de semana!

mãenuela disse...

Setembro é o prenúncio do inverno , mas no entanto o Setembro que eu recordo foi o prenúncio da I.

Conheces esta música? se fôr de 1976 foi feita para mim!

http://www.youtube.com/watch?v=jCMExp55x6I&feature=related

maria disse...

sabes uma coisa?
"Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada."
Houve um tempo em que o sabia de cor, o cântico.
beijo cheio de saudades de ir por aí.

Enviar um comentário

 

Copyright 2006 | Template cedido por GeckoandFly e modificado e convertido para Blogger Beta porBlogcrowds.
Muito obrigada :) Se queres conteúdo reproduzir, basta pedir!