segunda-feira, 30 de junho de 2008

Hoje, quando anoitecer, não vou deixar que fechem as cortinas só porque é hora de resguarda. Vou recolher para fora e percorrer os passeios remendados até encontrar alguém sentado na berma e aí sento-me eu também demasiado perto sem falar.

Hoje quando entrar em casa vou desligar as luzes e abrir as cortinas, para que pudesse ver de perfil as flores do aloendro, não sentindo o veneno, caso na cadeira me sentasse a olhar.

1 bitaites:

Ricardo disse...

e porque sabe tão bem sentir uma leve e fresca brisa sobre a pele ao ponto de atingir o arrepio, também eu passo noites de janela aberta por entre a dança dos cortinados, na esperança de admirar as constelações e outros corpos celestes que me trazem à memória aqueles que connosco ja a vida não podem partilhar.
é o sol que se esconde e a noite aparece em seu lugar e torna o mundo mais calmo (talvez só deste lado), para amanhã o caos e a inveja voltarem a instalar-se... carpe diem

beijo

Enviar um comentário

 

Copyright 2006 | Template cedido por GeckoandFly e modificado e convertido para Blogger Beta porBlogcrowds.
Muito obrigada :) Se queres conteúdo reproduzir, basta pedir!